Regida pelo maestro Marlos Nobre, a Orquestra Sinfônica do Recife dá prosseguimento à temporada 2019 com duas apresentações no Teatro de Santa Isabel, celebrando a obra de dois gênios da música erudita: Wolfgang Amadeus Mozart e Johannes Brams. Na quarta-feira (22), às 20h, o concerto será aberto ao público e gratuito, com ingressos distribuídos a partir das 19h na bilheteria do teatro. Um dia antes (21), a partir das 10h, os integrantes da OSR tocam e conversam com crianças e adolescentes sobre as particularidades e histórias de instrumentos, compositores e sonoridades em mais uma sessão do projeto Concertos para Juventude.

A aula espetáculo, idealizada pelo maestro Marlos Nobre, tem o objetivo de inserir os mais jovens no fascinante universo dos sons eruditos e contribuir para a formação de público. Escolas e grupos interessados devem agendar a visita pelo telefone (81) 3355-3323.

O concerto da quarta será dividido em duas partes. Na primeira, a OSR interpreta o “Concerto para Clarinete e Orquestra, K. 622”, de Wolfgang Amadeus Mozart (1756-1791), considerada uma das maiores obras-primas do artista austríaco. O compositor escreveu a peça para o clarinetista Anton Stadler. Seis meses depois, Mozart faleceria.

A história de obra guarda curiosas peculiaridades. Apesar de seguir formato tradicional no que se refere à ordem dos movimentos – Allegro, Adagio e Rondo – o Concerto foi originalmente escrito para um instrumento especial da época: o clarinetto di bassetto, criado pelo próprio Stadler. “O clarinete em uso, na época de Mozart, não era exatamente o que conhecemos em nossos dias, mas sim um instrumento com um registro mais grave, mais amplo, ao mesmo tempo com um registro agudo mais restrito e limitado”, explica Marlos Nobre.

O regente classifica o “Concerto para Clarinete” como uma das mais brilhantes criações da história da música clássica. “Diversas adaptações foram feitas, de Stadler até nossos dias, para preservar essa obra-prima. É uma peça musical obrigatória e preferida por clarinetistas de todo o mundo”, exalta Nobre. O professor e catedrático Jonathas Zacharias será o solista.

Na segunda e última parte da apresentação, a Orquestra Sinfônica do Recife interpreta a “Sinfonia nº 3 em Fá Maior, Opus 90”, de Johannes Brahms (1833-1897). Escrita em 1883, a obra é a mais curta e compacta das quatro sinfonias compostas pelo artista alemão e é dividida em quatro movimentos: Allegro con brio, Andante, Poco allegretto e Allegro.

“O terceiro movimento apresenta, logo em seu início, uma das melodias mais belas criadas pelo compositor em toda sua produção. No último, a orquestração apresenta uma peculiar luminosidade e radiante beleza. As explosões sonoras vão, pouco a pouco se acalmando, até o esplendor expressado no suntuoso acorde final da obra”, descreve o maestro.

Esse terceiro movimento da sinfonia de Brahms foi tema do filme “Mais uma vez, adeus” (1961), do diretor alemão Anatole Litvak, e estrelado pela atriz Ingrid Bergman. Em 1950, o cantor Frank Sinatra co-escreveu e gravou a música “Take my love”, cuja melodia foi baseada também nesse trecho da composição do alemão.                          

Os ingressos começam a ser distribuídos na bilheteria do teatro uma hora antes da apresentação, oferecida pela Secretaria de Cultura e pela Fundação de Cultura Cidade do Recife, para celebrar a diversidade e a qualidade da oferta musical recifense.

Serviço

Concertos para Juventude

Data: Terça-feira, 21 de maio
Horário: 10h
Local: Teatro de Santa Isabel (Praça da República, Bairro de Santo Antônio)
Inscrições: 3355-3323

Concerto Oficial da Temporada 2019 da Orquestra Sinfônica do Recife
Data: Quarta-feira, 22 de maio
Horário: 20h
Local: Teatro de Santa Isabel (Praça da República, Bairro de Santo Antônio)
Entrada franca. Ingressos distribuídos na bilheteria do teatro, uma hora antes da apresentação
Informações: 3355-3322

Por: Bruna Cabral

Foto: Andréa Rêgo Barros/Arquivo PCR