Dentro da Operação Facheiro II também foi realizada no dia 23/04/2019, a prisão de dois acusados de tráfico e homicídio, os quais tinha mandados de prisão em aberto por vários crimes como *tráfico de entorpecentes, assaltos a mão armada e homicídios na região. As prisões foram feitas no assentamento Virgulino Ferreira que fica localizado na Zona Rural de Serra Talhada/PE e foram possíveis depois de informações e levantamentos feitos pelas polícias federal e militar (14º BPM e BEPI).*
 
Chegando no primeiro endereço, os policiais federais e militares cercaram a casa e prenderam *JOÃO BATISTA DA SILVA*, sem ocupação, 42 anos, casado, natural de Floresta e residente em Serra Talhada/PE-(*possui antecedentes criminais por tráfico de drogas e homicídio*) e ao fazer uma busca em seu interior encontraram uma pistola calibre 380 com 14 munições intactas, 8Kg de maconha e 2Kg de sementes. Também foi encontrado uma roça de maconha há 2km de sua residência cerca de 21 mil pés, além de 14 munições calibre 12. 
 
Na segunda residência foi preso *DANIEL MANOEL LOPES DA SILVA*, vulgo nandin, agricultor, 30 anos, casado, natural de Mirandiba/PE e residente em Serra Talhada/PE -(*possui antecedentes criminais por tráfico de drogas e homicídios*), o qual tentou evadir-se com a chegada dos policiais, mas foi logo detido e preso. Na sua residência também foi encontrada um revólver calibre 38 com 20 munições intactas.
 
Terminado os trabalhos ostensivos e tendo sido arrecadados a droga, armas, munições e destruído os plantios, os presos foram levados para a Delegacia de Polícia Federal em Salgueiro/PE, onde após terem sidos informados dos seus direitos e garantias constitucionais acabaram sendo autuados em flagrante pelo crime contido no artigo 33  § 1º da Lei 11.343/2006  e artigo 12 da Lei 10.826/03 (tráfico de drogas e posse ilegal de arma de fogo de calibre permitido), e caso sejam condenados poderão pegar penas que variam de 5 a 18 anos de reclusão, além de multa!  
 
Em seus interrogatórios *JOÃO* disse que a pistola encontrada em sua residência era para sua defesa e pertencia ao seu pai. Negou que o plantio de maconha fosse seu, mesmo estando a poucos quilômetros de sua residência e negou participação em homicídios. Já *DANIEL* relatou que o revólver encontrado em sua residência era para sua defesa e ele mesmo havia adquirido. Disse não ser dono do plantio de maconha e negou participação em homicídios.  Após a autuação, os presos realizaram Exame de Corpo de Delito no IML – Instituto de Medicina Legal, foram encaminhados para a audiência de custódia, *ONDE FOI CONFIRMADA AS SUAS PRISÕES PREVENTIVAS*. *Em seguida foram levados para a Penitenciária Juiz Plácido de Souza em Salgueiro onde ficarão à disposição da Justiça Estadual/PE.*