Apresentado em coletiva de imprensa na tarde desta terça-feira (12) na Prefeitura do Recife, o projeto da alegoria do Galo Gigante da Ponte Duarte Coelho será chamado de ‘Galo Artesão’. A escultura, assinada pelo artista plástico Leopoldo Nóbrega e com ênfase na sustentabilidade, contará com uma rede de artesão, voluntários e técnicos provenientes da periferia da cidade em sua confecção.

 

Presidente da Fundação de Cultura da Cidade do Recife, Diego Rocha deu detalhes de como será o Galo neste ano. ”A prefeitura, junto com a agremiação Galo da Madrugada e com Leopoldo, que é o grande artista, (está) preparando um galo artesão, um galo que representa nossa cultura. Vai estar vestido com jeans, uma cauda muito bonita, a cabeça vai estar diferente, o corpo vai estar alusivo a um galo da madrugada”, explicou, ressaltando que carnaval do Recife tem que ser inspirado no folião e nos polos democráticos da cidade.

Questionado sobre a razão da mudança na produção deste ano, Diego justificou que a intenção é diminuir as despesas e fazer com que a população se identique. “Pela primeira vez, a decoração está sendo projetada e executada pela Prefeitura do Recife, através da Fundação de Cultura e da diretoria de comunicação, onde a ideia foi reduzir os custos e ter a decoração na rua e com os prazos certos, e também para a população se identificar com essa pegada na decoração”, afirmou. Segundo ele, a previsão é haver uma economia de R$ 250 mil em relação ao último ano. Além disso, disse que a tendência é a escultura estar pronto até a sexta-feira (1º).

O foco da confecção do Galo da Madrugada 2019 é na sustentabilidade. Cerca de 50% dos materiais de confecção da alegoria serão provenientes de reutilização de tecidos do Polo de Confeção do Agreste de Pernambuco. A execução do pojeto conta com profissionais de uma rede de economia criativa da Bomba do Hemetério, Zona Norte do Recife.

 

Para este ano, adiantou também novidades na decoração das pontes da cidade, com 3D. “Foram retiradas mais de 100 imagens para serem representadas. Nas pontes que dão acesso ao Recife Antigo vão ter os pórticos de entrada, que neste ano vão ter volumetrias, ou seja, serão imagens de 3D que vão estar lá, e também todo o Recife Antigo vai estar iluminado com cordas, fitas, tótens e bandas”, explicou.
 

“Tudo dando certo, a gente quer repetir (o modelo sustentável), quer repetir com ele também (Leopoldo), e vai dar certo, com certeza. Depois deste carnaval, a gente começa a discutir o do ano seguinte”, finalizou, ao ser questionado sobre a possibilidade de repetir o formato da ornamentação do Galo para 2020.

Leopoldo Nóbrega
Responsável pela escultura deste ano, o artista plástico, designer e consultor pernambucano Leopoldo Nóbrega afirmou que a intenção é aproximar o Galo do folião. “O Galo já começa aproximando o universo artesão, a gente define que o título dele é ‘Galo Artesão’ para evocar realmente essa mão de obra, essa qualidade feita à mão que PE tem, vende isso para o mundo. Então a gente traz isso para o Galo, valorizando esse profissional”, ressaltando todos que trabalham tendo esmero com as mãos. De aciordo com ele, o projeto começou a ser elaborado em março do ano passado.

“O galo usa jeans porque, na verdade, é um galo humanizado, que faz parte da irreverência do nosso povo e o desejo de aproximar da realidade”, acrescentou, destacando que a roupa do Galo tem mil partes, sendo um características do produto artesanal.

O artista destacou também a importância da conscientização ambiental que este Galo pode trazer, fazendo com que os polos de confecções de roupas tenham uma maior preocupação com ao meio ambiente ao lidar com os resíduos na produção.

Para finalizar, Leopoldo revelou que as cristas do Galo pela primeira vez terão cabelo. “A gente vai ter um cabelo com representatividade afro, com esse desejo de liberdade. Cabelos de ‘caracois’, que estão, literalmente, em alta”, concluiu.

Fonte: Diário de Pernambuco

Foto: Anamaria Nascimento/ DP