Os barraqueiros fixos da orla do Recife, aqueles que podemos encontrar durante todo o ano, começaram a se organizar para o Réveillon desde o início do mês. Já acertaram suas contas com a Prefeitura e reservaram seu espaço. Alugaram banheiros químicos para seus clientes e estocaram as bebidas que serão comercializadas durante a noite da virada. Nas praias de Boa Viagem e do Pina, serão 14 atrações musicais e mais de oito horas de celebração.

Quase 16 toneladas de fogos de artifícios distribuídos em três balsas entre os dois palcos farão o espetáculo de 15 minutos de luzes e cores durante a virada. A festa vai se repetir na praia do Forte, em Olinda, e em Candeias, em Jaboatão dos Guararapes. Quem pretende virar o ano com os pés na areia e algum conforto precisa estar atento. No Recife, o aluguel das mesas, de acordo com os barraqueiros, custará em torno de R$ 80 a R$ 120, podendo variar para mais ou menos de acordo com a barraca, fora o consumo das bebidas e sem distinção por proximidade do palco.

Aqui o cliente só paga as mesas, se ele quiser trazer tudo de casa, ele pode. As bebidas são um a mais que nós oferecemos”, explica Edmilson Guedes, 50, da barraca do Edi. De acordo com os barraqueiros, estarão disponíveis para os consumidores espumantes, uísque, energéticos, cerveja, refrigerantes e água, de várias marcas e vários preços. No entanto a comida fica por conta do cliente.

Os banheiros químicos serão divididos por barraca e os clientes poderão usar sem pagar nada mais por isso. Mas, se a pessoa optar por ficar em uma mesa de quem não possui banheiro próprio, terá que pagar uma taxa que varia de R$ 2 a R$ 5. Ou utilizar um dos 80 banheiros disponibilizados à população pela Prefeitura da Cidade do Recife (PCR) ao longo da orla. Por meio de nota, a PCR informou que 40 deles ficarão nas imediações no palco montado perto do Acaiaca e os outros 40, perto do palco do Pina, todos nas calçadas ao longo da avenida. Barraqueira há mais de 30 anos, Ana Lúcia, 62 anos, disse que, além de alugar banheiros, encomendou essência de eucalipto para que eles não fiquem com mau cheiro e contratou pessoas para realizar a limpeza. Sua barraca, disse, terá pulseirinhas de acesso, “tudo para garantir o bem-estar das pessoas”.

Marlene Vicente, barraqueira há 40 anos, sempre trabalhou no ano novo. Ela diz que está na praia “para atender os clientes” e que, se eles quiserem, podem alugar as mesas e ficar com as mercadorias deles, “sem problemas.” Fábio Ferreira, 27, que trabalha desde criança na praia, diz que não dá preferência de “alugar antes”, porque, acredita, “à noite a gente aluga mais”. Os frequentadores, no entanto, dizem que é preferível que o aluguel das mesas e os adicionais, como cooler ou balde de gelo, já sejam acertados previamente, pois, na hora do evento, fica mais difícil garantir mesas e os adicionais para todos. Também vale ressaltar que, na hora, a preferência será dada a clientes e indicados, “para evitar tumultos ou comportamentos que incomodem o pessoal da casa”, alertam outros barraqueiros.

Para garantir a organização, neste ano, pela primeira vez, os barraqueiros tiveram que pagar uma taxa de R$ 179 para abrir suas barracas na noite de ano novo. A Secretaria de Mobilidade e Controle Urbano do Recife (Semoc) informou que o valor é referente à taxa de Uso e Ocupação do Solo e foi paga apenas pelos barraqueiros que já trabalham na área e vão abrir suas barracas na noite de Réveillon. Para assegurar o acesso à praia, a circulação de veículos será bloqueada na avenida Boa Viagem a partir das 6h da segunda-feira até as 10h da terça-feira, dia 1º.

Expresso Réveillon

A CTTU, em parceria com a Empresa Borborema e os shoppings RioMar e Recife, continuam com a iniciativa do Expresso Réveillon, sucesso desde 2013. No dia 31, nove ônibus sairão dos shoppings RioMar e Recife, das 19h da segunda-feira (31) até as 5h da terça-feira (1º).

Fonte: Folha PE

Foto: Jose Britto/Folha de Pernambuco