O Bairro do Recife vai se encher de luz e tradições culturais para celebrar o Natal neste fim de semana. Amanhã (14), o Cais da Alfândega se transforma num colorido e iluminado corredor por onde desfilarão algumas das mais genuínas tradições culturais nordestinas, entre elas os pastoris, manifestação homenageada pela Prefeitura do Recife neste Ciclo Natalino 2018. No sábado (15) e no domingo (16), a festa continua na Avenida Rio Branco.

A decoração preparada pela Prefeitura do Recife será inaugurada às 18h, no Cais da Alfândega. A grande atração será a árvore de natal com 14 metros de altura, base de madeira de reflorestamento e corpo de estruturas metálicas que formarão quatro faces triangulares, onde serão projetadas imagens que sintetizem e traduzam o espírito natalino, evocando alegria, solidariedade e beleza. A árvore ficará no final da via, perto da Ponte Giratória.

Na calçada que margeia o rio, uma das principais e mais belas paisagens da cidade, estruturas de ferro vazadas darão vida a um iluminado bosque de árvores de Natal, símbolo inequívoco do ciclo festivo que convida a renascer e florescer. Diante do Paço Alfândega, o tradicional presépio, esculpido em barro, lembrará o nascimento de Cristo.

Pelo quarto ano consecutivo, as arquitetas Fabiana Ramalho e Cynthia Lebsa, da Gerência Geral de Arquitetura e Engenharia da Fundação de Cultura Cidade do Recife, assinam o projeto, que também contempla as árvores do Cais da Alfândega e da Rio Branco, que receberão refletores e cordões de luz conhecidos como snow led, que penderão das copas, dando um efeito de neve caindo. Até os postes ganharão elementos decorativos que penderão em direção ao solo, criando um efeito de meio arco, para emoldurar os festejos natalinos no Recife Antigo.

A festa também está garantida. Às 18h, quando a árvore for acesa, irá se apresentar no palco, montado no Cais da Alfândega, o projeto Louvores in Concert, que reúne Almir Rouche e as crianças da Orquestra do Movimento Pró-Criança, sob a regência do maestro Crisóstomo Santos, com participação especial do Instituto Passo de Anjo.

A programação segue com cortejo de 9 pastoris, Reisado Imperial e Cavalo Marinho Boi Matuto, embalados pela Associação Musical 19 de Fevereiroe Som Brasil Banda Show, da Rio Branco em direção ao Cais da Alfândega, queima de fogos e apresentações do Pastoril Giselly Andrade e do Balé Deveras.

No sábado e no domingo, a festa se transfere para a Avenida Rio Branco, enfeitada desde o último dia 9 de dezembro com 14 presépios feitos pelos alunos da rede municipal, a partir de meia tonelada de resíduos tecnológicos. Lá irão se apresentar, a partir das 19h, o Balé Popular do Recife, o Pastoril Estrela Brilhante e o Reisado Imperial. A noite encerra com uma grande celebração ao pastoril, num espetáculo que reunirá o passado, o presente e o futuro da tradição. Ciceroneados pelo Véio Mangaba e seu pastoril, subirão ao palco os velhos Xaveco, Maroto, Lumbrigueta e Cafuné.

No domingo, a programação começa mais cedo cedo. Às 10h, Adriana B desfila seu samba na Rio Branco. E, das 16h às 22h, a festa continua com Romero Ferro, Coral Passo de Anjo, Maestro Spok e Comunidade do Pilar, Grupo Matéria Prima, Pastoril Jardim da Alegria, Grupo de Dança de Valdeck Farias, Guerreiros do Sol Nascente e Cia Pé-Nambuco de Dança.

Recife dos Presépios por mãos do futuro – A sustentabilidade e a inovação foram convidadas para a festa recifense. O projeto Recife dos Presépios por mãos do futuro, promovido pela Secretaria de Educação do Recife, convidou estudantes da rede municipal a arregaçar as mangas para fazer uma releitura do imaginário natalino, recriando a cena do nascimento de Jesus a partir de resíduos tecnológicos e materiais reciclados, tendo a cultura nordestina como referência e cenário. No total, 397 crianças e adultos e 63 professores de 14 escolas foram envolvidos na confecção de 14 presépios, que começaram a ser produzidos em outubro. As obras de arte – cujas dimensões variam 1m² e 3m³, com alturas que ficam entre 1m e 1,80m – estão expostas desde o dia 9 de dezembro, na Avenida Rio Branco. Os presépios ficarão expostos até o dia 25 de dezembro, das 11h às 15h e 16h às 19h, de segunda a sábado, e das 9h às 11h e 15h às 19h, aos domingos.

A ação, de reinvenção das tradições e conscientização ambiental, envolveu desde crianças nas creches a jovens do ensino regular e alunos da Educação de Jovens e Adultos (EJA). O desafio de todos eles era construir os presépios, utilizando pelo menos 50% dos materiais provenientes de resíduos tecnológicos como teclados, mouses, CPUs, telas, teclas, CDs e DVDs, entre outros. Ao todo, foi utilizada meia tonelada dos seguintes resíduos tecnológicos:

Teclados – 150
Mouses – 150
Monitores – 150
CPUs – 60
Cabos e fios – 1000 metros
Estabilizadores – 50
Geláguas – 10
Garrafões – 30
Cadeiras – 40

As escolas e creches escolas envolvidas na confecção dos presépios são: Escola Municipal Almerinda Umbelina (Vasco da Gama), André de Melo (Estância), Bola na Rede, CMEI Ana Rosa Falcão de Carvalho (Santo Amaro), CMEI São João (Macaxeira), Creche Albérico Dornelas (Brum), Divino Espírito Santo (Caxangá), Edinaldo Miranda (Encruzilhada), Engenho Do Meio (Engenho do Meio), Josefina Marinho (Casa Amarela), Karla Patrícia (Boa Viagem), Nossa Senhora da Penha (Boa Viagem), Padre Antônio Henrique (Derby), Pedro Augusto (Boa Vista).

Homenageados – O Ciclo Natalino 2018, promovido pela Prefeitura do Recife, com envolvimento de várias secretarias, celebra este ano o pastoril, uma das mais típicas e enraizadas celebrações culturais do Nordeste, em seus dois desdobramentos: o religioso e o profano, personificados por Dona Ivone Santos, que há 40 anos dirige o Pastoril Aurora da Redenção, do Jardim Beira Rio, no Pina, e o Velho Mangaba, que, desde o início dos anos 1990, vem resgatando a verdadeira história do principal personagem da brincadeira profana: o velho.

Os pastoris têm origem no teatro semipopular ibérico, que combinava danças, textos e canções, vinculados aos presépios, diante dos quais eram encenados. Nas duas primeiras décadas do século XIX, o pastoril se mantém pela iniciativa de leigos, sem perder sua ligação religiosa. A partir daí, embrenha-se pelas ruas e bairros, atraindo um público cada vez maior. E passa a se dedicar, cada vez mais, à crítica de costumes, ganhando irreverência e sensualidade, com o surgimento da vertente profana da brincadeira.

Povoada por diversos personagens, como a Estrela, o Pastor, o Anjo, a Borboleta, a Cigana e a Camponesa, o pastoril desdobra-se a partir da rivalidade entre dois cordões: o azul e o encarnado, mediados pela Diana, que carrega as duas cores.

 

Confira a programação:

DIA 14/12

Local: Cais da Alfândega

18h – Louvores in Concert, projeto de Almir Rouche com as crianças da Orquestra do Movimento Pró-Criança, sob a regência do maestro Crisóstomo Santos, e participação especial do Instituto Passo de Anjo

19h30 – Cortejo com 9 pastoris, Reisado Imperial e Cavalo Marinho Boi Matuto, embalados pela Associação Musical 19 de Fevereiro e Som Brasil Banda Show, da Rio Branco em direção ao Cais da Alfândega

20h – Pastoril Giselly Andrade

20h40 – Balé Deveras

 

DIA 15/12

Local: Avenida Rio Branco

19h – Balé Popular do Recife

19h40 – Pastoril Estrela Brilhante

20h20 – Reisado Imperial

21h10 – Pastoril do Véio Mangaba, com a participação dos velhos Xaveco, Maroto, Lumbrigueta e Cafuné

 

DIA 16/12

Local: Avenida Rio Branco

10h – Adriana B

16h – Romero Ferro

17h – Coral Passo de Anjo, Maestro Spok e Comunidade do Pilar

18h – Grupo Matéria Prima (Conservatório Pernambucano de Música)

19h – Pastoril Jardim da Alegria

19h40 – Grupo de Dança de Valdeck Farias

20h20 – Guerreiros do Sol Nascente

21h10 – Cia Pé-Nambuco de Dança

Fonte: Gabinete de Imprensa Prefeitura do Recife

Foto: Wesley D’Almeida/Arquivo PCR. Abertura da programação de Natal de 2017.