Cidades da Região Metropolitana do Recife (RMR) recebem a partir deste mês o projeto Soya Recicla, um dos maiores programas nacionais de reciclagem e descarte de óleo de cozinha, que é capitaneado pela marca Soya. A iniciativa criou uma grande rede de coleta que envolve a disponibilização de locais e veículos de revendas da Ultragaz no Grande Recife e pontos de descarte voluntários (PEV). O lançamento da estratégia aconteceu, na última sexta-feira, no Recifel, durante os preparativos finais da expedição da Família Schurmann para a 30ª edição da Regata Recife-Fernando de Noronha. Conhecidos pelos desafios no mar e pelo ativismo ecológico, os Schurmann são os embaixadores do projeto.

No próximo dia 11, a família fará o descarte dos resíduos da viagem, na Universidade Estácio de Sá, que receberá o primeiro PEV do Soya Recicla. “A Refeno, neste ano, e a Família Schurmann estão trabalhando o tema da sustentabilidade com a questão da poluição dos mares e um dos principais fatores de poluição dos mares é o óleo, além do plástico”, comentou o gerente de marketing da Bunge, Rafael Sá, sobre o momento de startar o projeto no Recife e Região Metropolitana. Soya Recicla começou no País por São Paulo ainda em 2006.

De lá para cá, já chegou a 115 cidades e recolheu quase seis milhões de litros de óleo de cozinha que foram transformados em sabão biodegradável ou biodiesel. Em grande parte dos municípios, há uma parceria entre o Instituto Triângulo – ONG de desenvolvimento sustentável – e a empresa Ultragaz, que será replicada também na Região Metropolitana do Recife. Nos próximos dias, uma equipe do Instituto Triângulo estará capacitando funcionários das revendas Ultragaz, que aderiram à iniciativa, sobre como captar o descarte. Pelo menos 30 revendas já demonstraram interesse em participar da iniciativa.

“As revendas vão aderindo ao programa organicamente. A Ultragaz não as força a aceitar. Cada revenda será um ponto de coleta do descarte onde o consumidor pode ir lá e deixar (o óleo) ou ela pode recolher na casa das pessoas quando estiver ocorrendo à venda do gás”, disse. A cada dois litros levados pelos consumidores, eles ganham um kit com o sabão ecológico. O descarte fica armazenado nas revendas até que um preposto local (a empresa Recioleo) dê destinação tanto para a produção de sabão ou de entrega para usinas de biodiesel. O alvo inicial do programa são os consumidores domiciliares, mas numa próxima fase grandes produtores desse resíduo como restaurantes e hotéis devem ter uma ação de adesão específica.

O Recife e região ganham uma rede de mobilização ecológica, onde as pessoas podem guardar o óleo vegetal, encontrar pontos de entrega e receber de volta um símbolo importante que é o sabão reciclado”, reforçou o presidente do Instituto Triângulo, Eduardo Maki.

Fonte: Folha PE

Foto: Léo Motta / arquivo Folha