O descarte correto é uma pauta relevante que atinge a todos e, principalmente, empresas que precisam administrar a gestão dos resíduos das suas matérias-primas não mais utilizadas. E mais do que destinar corretamente, reaproveitar transformando o lixo em um novo produto é uma iniciativa sustentável que vem sendo a aposta de algumas empresas.

A Natura, com o objetivo de reduzir o impacto ambiental de suas atividades, tem investido em inovações tecnológicas para enfrentar essa gestão. A empresa é a primeira do Brasil a utilizar vidro reciclado pós-consumo na perfumaria, uma iniciativa que teve início em 2015. Desde então, a empresa já evitou a geração de 1,6 mil toneladas de resíduos, que equivalem a 1,7 milhão de garrafas de vidro de um litro, ao reinserir esse material em suas cadeias produtivas. Com esse projeto, a Natura também evitou a emissão de 1,5 mil tonelada de gases de efeito estufa, o equivalente a 262 viagens de carro ao redor da Terra.

“O desafio de incluir o vidro reciclado em todas as marcas da perfumaria da Natura é grande. Para assegurar a qualidade das embalagens, que são fabricadas com vidros muitas vezes de características diferentes em relação a cor, por exemplo, estruturamos um rígido processo de homologação das cooperativas fornecedoras”, comenta Keyvan Macedo, gerente de Sustentabilidade da Natura.

A empresa também aposta em embalagens feitas com 100% de plástico reciclado pós-consumo e no uso de plástico verde, que é produzido a partir da cana-de-açúcar, uma matéria-prima renovável que apresenta mesmo potencial de reciclagem que o plástico tradicional, com o benefício de impactar menos na emissão de gases do efeito estufa, que causam as mudanças climáticas. Além disso, também é utilizado o uso de refis em diversas linhas, como Ekos, Chronos e Tododia, o que contribui para evitar que toneladas de resíduos sejam despejados na natureza por ano.

Em Pernambuco, empresas como a Duas Design e a Palmeiral Arte Design também investiram na reutilização de algo que seria lixo para impactar positivamente o meio ambiente. A Duas, empresa que exprime estilo e personalidade nas suas peças de roupa e decoração, em parceria com a Re-Roupa, empresa de São Paulo que busca a transformação por meio de uma reutilização criativa de tecidos e roupas descartados, lançou uma coleção utilizando retalhos de tecidos de coleções passadas.

“Nunca havíamos descartado nossos resíduos, e vale ressaltar que nossos resíduos são pequenos mesmo. Não temos sobra de coleção ou peças avariadas que ficam sem uso. São restos de corte de tecido da nossa produção. Então era um grande desafio para quem fosse juntar. Sabíamos que queríamos fazer algo legal com aquelas sobras e foi quando conhecemos Gabi Mazepa do Re-Roupa, fizemos o convite e ela topou de cara!”, explica Lia Tavares, sócia da Duas que divide a parceria com Marina Viturino.

A empresa já doa os tecidos muito pequenos para algumas costureiras que trabalham com a Duas e fazem fuxico, elásticos de cabelo para presentear as clientes da loja ou forros de nécessaire. “Sempre tivemos noção da nossa responsabilidade como marca e que não poderíamos descartar nossa matéria prima, pois nos preocupamos em reduzir ao máximo peças de roupa que tenham poliéster em sua composição (exceção da coleção de Carnaval) e estamos aumentando a oferta de tecidos naturais (linho e algodão). Mas iniciar uma coleção com esse conceito  e inteiramente pensada e feita com resíduos foi a primeira vez”, conta Lia. A parceria com a Re-Roupa utilizou mais de 20 tipos de estampas exclusivas de coleções de quatro anos atrás, que foram transformadas em 130 peças, em média.

Já a Palmeiral Arte Sustentável observou o meio ambiente a sua volta e a partir do descarte do coco investiu na produção de acessórios de moda e decoração. A empresa formada pelo casal de empresários Viviane e Daniel Locatelli tem ponto de venda em Porto de Galinhas, onde tudo começou. “Sou artesã há 24 anos e sempre fiz acessórios. Há 14 anos, em 2004, observando o nosso local de venda, sentimos a necessidade de reciclar o coco descartado na praia, após o consumo, e desde então estamos desenvolvendo esse trabalho. Anteriormente a esse período  passamos uma temporada em Minas Gerais em uma comunidade que trabalhava com sementes do cerrado e passamos a utilizar essa mesma técnica como base para a Palmeiral, agregando outras conforme nossa necessidade”, explica Viviane.

A empresa faz a coleta do coco e na oficina realizam o processo de limpeza, formatação, furação, lixamento, tingimento e polimento. Dessa forma, as peças ficam prontas para montagem que é feita. A empresa também realiza treinamento com a comunidade para auxiliar nessa montagem das peças. “Me sinto muito realizada com o meu trabalho , uma matéria prima que iria pro lixo mas através das nossas mãos são transformadas”, declara a empresaria.

Mensalmente a Palmeiral utiliza uma média de 1000 unidades de coco que são transformados em acessórios como colares, brincos e pulseiras. E este ano a produção foi além e investiu também em produtos de decoração. Por meio da jornada criativa, projeto realizado pelo Sebrae, que teve mentoria de Marcelo Rosembal, os empresários desenvolveram novos produtos com sua matéria prima e criaram uma luminária que ficou em exposição na Fenearte e será exposta na casa cor 2018.

Sobre a Natura

Fundada em 1969, a Natura é uma multinacional brasileira de higiene e cosmética. Líder no setor de venda direta no Brasil, com mais de 1,7 milhão de consultoras, faz parte da Natura &Co, resultado da combinação entre as marcas Natura, The Body Shop e Aesop – que registrou R$ 9,9 bilhões de receita líquida em 2017. Foi a primeira companhia de capital aberto a receber a certificação B Corp no mundo, em dezembro de 2014, o que reforça sua atuação transparente e sustentável nos aspectos social, ambiental e econômico. Com operações na Argentina, Chile, Colômbia, Estados Unidos, França, México e Peru. Produtos da marca Natura podem ser adquiridos com as consultoras Natura, pelo Rede Natura, por meio do app Natura ou em lojas em São Paulo, Rio de Janeiro, Paris, Nova York, Santiago e Buenos Aires. Para mais informações sobre a empresa, visite www.natura.com.br e confira os seus perfis nas redes sociais: LinkedInFacebookInstagram, Twitter e YouTube.

Por: Jessica Mezzomo – Dupla Comunicação

Foto: Internet